banner agende uma consultaPowered by Rock Convert

Na terceira idade, aprender como cuidar da pele envelhecida é essencial. Esse cuidado ultrapassa as questões meramente estéticas e adquire grande relevância no que se refere aos aspectos da saúde.

Saber identificar as características de uma pele envelhecida — como a diminuição do tônus e da elasticidade — torna-se fundamental para direcionar condutas de prevenção e de tratamento mais adequadas.

Mediante isso, selecionamos algumas sugestões elementares para manter a pele mais saudável e bonita durante o envelhecimento. Continue a leitura e veja como incluir esses cuidados básicos no cotidiano do idoso. Acompanhe!

Quais as principais alterações na pele com o passar da idade?

As mudanças fisiológicas típicas do envelhecimento também afetam a saúde e a beleza da pele. Na adolescência, um dos primeiros sinais de envelhecimento da pele é o aparecimento da acne. Em torno dos 20 anos, começam a surgir sulcos muito finos, principalmente na região ao redor dos olhos e da boca.

Esse processo gradual do envelhecimento faz aparecer as primeiras rugas na terceira década de vida. Após os 30 anos de idade, as fibras de elastina e de colágeno começam a sofrer mudanças perceptíveis.

Consequentemente, ocorre a diminuição da densidade cutânea, o que provoca a redução da firmeza e da elasticidade dos músculos da face, principalmente. Com o passar da idade, a capacidade de renovação celular e de hidratação natural da pele também tornam-se reduzidas.

Aos 50 anos, essas mudanças são bem mais intensas: a queda na produção de colágeno e de elastina provoca a desorganização da camada fibrosa da pele. Devido a essas alterações estruturais, a renovação celular e a hidratação natural tornam-se cada vez mais irregulares.

 

Além disso, a redução natural na produção hormonal traz ainda maior prejuízo a todas as funções da pele, o que eleva o risco de doenças. Todas essas mudanças resultam na diminuição da densidade, do tônus e da elasticidade da pele.

Porém, é depois dos 60 anos que a perda acentuada da elasticidade da pele a torna mais frágil. Com isso, as rugas aparecem de forma mais acentuada. Nessa fase, a produção de elastina já está bem prejudicada e a epiderme torna-se mais fina e desidratada.

Quais são as características da pele envelhecida?

Assim como os demais órgãos, a pele também sofre sensíveis alterações e envelhece com o tempo. Entre as principais mudanças, a perda da elasticidade e da luminosidade contribuem para o surgimento de rugas e de flacidez. Os sinais do envelhecimento são mais visíveis na epiderme, a camada mais externa da pele. Essa cobertura natural fica mais fragilizada e a descamação é reduzida devido à alteração da velocidade da renovação celular.

Além disso, os vasos sanguíneos vão diminuindo a capacidade de irrigação, de nutrição e de eliminação das toxinas do organismo. A pele também perde a capacidade de retenção de água, o que a deixa mais desidratada na terceira idade. Além da idade, há outras questões que influenciam as mudanças na aparência da pele. Entre os fatores externos mais determinantes, o estresse, o tabagismo, o alcoolismo e os efeitos da radiação solar aceleram o envelhecimento da pele.

Assim, o aspecto da pele torna-se alterado bem mais cedo. Os sinais mais evidentes são o aparecimento de manchas, rugas, asperezas, casquinhas e outros sinais típicos do envelhecimento precoce.

Como evitar os impactos do envelhecimento sobre a pele?

Listamos alguns cuidados importantes para ajudar a recuperar a aparência da pele envelhecida. Confira!

Manter a pele limpa

Em qualquer idade, a limpeza é fundamental para manter a pele saudável e livre dos ataques de germes. O ideal é que ela seja limpa com um sabonete específico e sob orientações do dermatologista. O uso de produtos específicos de limpeza, como os tônicos faciais e similares, ajuda a retardar os efeitos da renovação celular e melhora o aspecto da cútis.

Hidratar a pele diariamente

Durante o envelhecimento, o processo de renovação celular fica mais lento, o que sugere a necessidade de cuidados mais intensos com a pele. A redução do tecido fibroso faz surgir as linhas de expressão e a flacidez, principalmente da musculatura da face.

Além disso, a diminuição funcional da rede vascular e glandular deixa a pele mais seca. A desidratação ocorre porque a barreira cutânea torna-se muito fragilizada e não consegue mais impedir a perda de água. Assim, a oleosidade natural da pele fica reduzida e há maior risco de ressecamento e do surgimento de manchas e coceiras. Ainda que não retarde o envelhecimento, os cremes hidratantes devem ser utilizados diariamente para suavizar os sinais da idade.

Utilizar protetor solar

Nos países tropicais, onde o sol aparece o ano inteiro, o uso de bloqueador solar não pode ser ignorado. Ter esse cuidado sinaliza melhores condições de saúde, além de promover a beleza da pele. No entanto, o hábito de usar protetor solar, sobretudo na face, é imprescindível como prevenção do câncer de pele — conhecido como melanoma. Além disso, esses produtos ainda ajudam a evitar sardas e outros problemas dermatológicos.

Cuidar da alimentação

Independentemente da idade, o cuidado com os hábitos alimentares é fundamental à saúde. Porém, durante o envelhecimento, os riscos associados  ao consumo de determinada classe de alimentos é bem mais preocupante. O consumo de produtos ricos em gordura e o abuso de  álcool e de cigarro são vistos pela classe médica como os grandes vilões da pele bonita.

 

Com o tempo, o acúmulo dessas substâncias tóxicas geram consequências graves ao organismo todo, inclusive à pele. Tendo isso em vista, a preferência por alimentos crus, naturais e nutritivos é essencial à manutenção das funções da derme. Mais do que isso, cultivar hábitos saudáveis reduz os impactos da pele envelhecida e melhora a saúde na terceira idade.

Ficar atento aos aspectos emocionais

Mediante as estatísticas da ONU sobre o aumento da depressão em idosos, fomentar medidas para minimizar os problemas decorrentes dessa doença é fundamental. E isso, de modo urgente. O estresse e a ansiedade são considerados os principais fatores para acelerar o envelhecimento. Nessas condições, o desequilíbrio psicológico deixa a pele mais vulnerável à ação de radicais livres e aos efeitos dos hormônios do estresse.

Para a classe feminina, essas questões são ainda mais complexas, dada a maior influência da carga hormonal sobre a saúde da mulher. Contudo, por meio dos cuidados adequados, é possível promover o envelhecimento ativo e tornar a pele mais bonita e saudável. 

Portanto, entre outras medidas, a atenção à saúde emocional pode retardar os sinais da idade, evidenciados na pele envelhecida. Nesse sentido, cuidar da mente e do corpo é essencial para assegurar o bem-estar e a qualidade de vida do idoso.

Agora é com você: teria alguma opinião diferente sobre esse assunto? Deixe um comentário com a sua ideia e participe de nosso artigo!