banner agende uma consultaPowered by Rock Convert

O surgimento das vacinas foi uma verdadeira revolução em termos de saúde. Com essa descoberta, pudemos prevenir uma série de doenças que outrora dizimavam populações e eram completamente fatais. Os indivíduos da terceira idade, inclusive, eram alguns dos mais afetados por esses problemas. Hoje, felizmente, a vacinação do idoso é algo que faz parte de nosso dia a dia.

Apesar de todo esse avanço, ainda existem muitas dúvidas acerca da vacinação. Recentemente, alguns grupos passaram a espalhar medo com questionamentos sobre a segurança dessa estratégia, fazendo com que o número de vacinações diminuísse consideravelmente.

Para os idosos, isso é um problema ainda mais sério, já que estão muito suscetíveis a contrair doenças sérias graças à maior fragilidade de seu sistema imunológico. Por isso, a seguir, conversaremos sobre as principais vacinas para essa faixa etária e discutiremos a segurança delas para a saúde. Vamos lá?

Afinal, as vacinas são seguras?

Um episódio bastante peculiar ocorreu no Brasil em 1904, na época em que nosso país se encontrava no período conhecido como República Oligárquica. Esse ocorrido é conhecido nos livros de história como A Revolta da Vacina e é amplamente estudado até os dias atuais.

A revolta ocorreu a partir da implementação de medidas sanitárias pelo médico e bacteriologista Oswaldo Cruz. Hoje reconhecido por seus serviços à saúde brasileira, em 1904 ele foi hostilizado pela população que não conhecia os efeitos positivos da vacina e que foi obrigada a se imunizar contra a varíola, que assolava o Brasil na época.

Hoje, um grande movimento anti-vacina toma forma não só no Brasil, mas em várias regiões do planeta. Por isso, precisamos ressaltar que as vacinas são completamente seguras e fazem parte de um minucioso estudo conduzido por cientistas de todas as nacionalidades. Nosso país é, inclusive, um dos mais avançados nesse aspecto.

Qual é a importância da vacinação do idoso?

A vacinação atua na inoculação de formas mortas ou atenuadas de micro-organismos em nosso organismo a fim de estimular a produção de anticorpos contra diversas doenças. Assim, caso entremos em contato com a forma ativa da enfermidade, teremos as defesas necessárias para combatê-la sem adoecer.

Esse mecanismo é realmente revolucionário e salvou a vida de milhões de pessoas em todo o mundo desde a sua criação. Para os idosos, ele é ainda mais importante, pois esse grupo de pessoas tem, naturalmente, um sistema imunológico mais debilitado e comprometido, especialmente quando associado à presença de doenças crônicas.

Sem as vacinas, os idosos estão suscetíveis a contrair formas muito mais severas das doenças. Por isso, até mesmo enfermidades “simples’’, como uma gripe, podem ser potencialmente fatais durante a terceira idade.

Quais são as vacinas mais comuns e importantes na terceira idade?

Agora que já sabemos que as vacinas não são apenas seguras, mas completamente indispensáveis para a saúde dos idosos, que tal conferirmos as principais delas? A seguir, você verá quais são as vacinações que não podem ficar de fora de uma carteirinha de vacinação de idoso. Confira:

Tríplice viral

A vacina tríplice viral é uma importante ferramenta contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. Ela é indicada em casos específicos, como surtos ou viagens. A recomendação para essa vacina é sempre médica.

De modo geral, essa vacina é aplicada em uma única dose. No entanto, a sua aplicação não é rotineira, já que nem sempre os idosos estão suscetíveis a essas doenças e, na maioria das vezes, já foram imunizados contra elas na infância.

Vacina pneumocócica

As vacinas pneumocócicas (VPC13 e VPP23) não são dadas em campanhas, mas fazem parte da vacinação rotineira dos idosos. Começam com uma dose da VPC13, seguidas de duas doses da VPP23, com seis meses de intervalo entre cada uma delas. Cinco anos depois, é feito mais um reforço.

No Rio de Janeiro, para receber essa vacinação, basta se dirigir a uma clínica especializada e fazer a imunização. Essas vacinas especificamente não estão disponíveis gratuitamente pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Hepatite B

A vacinação contra a hepatite B é feita de forma rotineira, e dividida em três doses. A segunda dose é aplicada um mês após a inicial. Já a terceira, cerca de 6 meses após a anterior.

Por estar disponível gratuitamente no SUS, para realizar a imunização o paciente só precisa se dirigir a uma UBS (Unidade Básica de Saúde) com seu documento de identificação e a carteirinha nacional de vacinação.

Gripe

A vacinação contra gripe é uma das mais populares e amplamente divulgada pela imprensa. Levar um indivíduo da família ou uma pessoa próxima que esteja na terceira idade para tomar essa vacina é uma forma de estar presente em sua saúde e participar de forma mais ativa e consciente desse processo.

Ela é destinada a todos que têm mais de 60 anos, em uma dose única anual. Suas campanhas normalmente ocorrem na transição entre as estações do outono e do inverno, ou seja, em meados do mês de maio.

Hepatite A

Apesar de não ser uma vacina prioritária, a Hepatite A é a mais comum dentre as hepatites. A maioria dos adultos acima de 50 anos já tiveram contato com o vírus, portanto é indicada para os idosos com sorologia negativa.

A vacina para a Hepatite A está disponível gratuitamente pelo SUS. Por isso, dirija-se à UBS mais próxima de sua casa e se informe sobre os horários para receber a imunização.

Varicela-Zoster

Você já ouviu falar sobre a herpes zoster? Popularmente conhecida como cobreiro, essa doença pode causar uma série de lesões bastante dolorosas na superfície da pele, especialmente na região do rosto. O risco de contraí-la aumenta com a idade e, portanto, a imunização é fundamental.

Normalmente, a sua aplicação é feita simultaneamente à da vacina da gripe e a recomendação é de que ela seja aplicada em pessoas com mais de 50 anos de idade. A vacina ocorre em uma dose única e pode causar uma certa dor no local da aplicação, que costuma se normalizar em poucos dias

Como podemos observar, a vacinação do idoso é uma prática imprescindível para garantir a saúde dos que se encontram na terceira idade. Completamente seguras, elas são a melhor alternativa para prevenir uma série de doenças potencialmente graves e trazer muito mais qualidade de vida para todos!

Além da vacinação, outra maneira de cuidar dos idosos é escolher um profissional qualificado para acompanhar sua saúde. Por isso, confira 5 passos para escolher um geriatra no Rio de Janeiro e saiba como garantir a escolha de um ótimo médico!