Você sabe como procurar um bom geriatra no RJ? Afinal, é ele quem cuida da saúde do idoso por meio do tratamento de problemas comuns nessa fase da vida, como alterações da memória, perda de equilíbrio, diabetes, pressão alta, confusão mental, depressão, osteoporose e complicações provocadas pelo uso excessivo de medicamentos.

Além disso, esse médico poderá orientar as formas de prevenir o surgimento dessas doenças e obter um envelhecimento saudável, garantindo qualidade de vida e independência pelo máximo de tempo possível.

Sabendo da sua importância para o bem-estar do idoso, preparamos um post especial para que você saiba como o geriatra atua e como escolher o melhor profissional, principalmente na zona norte do Rio de Janeiro. Continue a leitura e confira!

Para que serve um geriatra?

Segundo o IBGE, a população idosa vem aumentando cada vez mais. Inclusive, estima-se que até 2050 essa quantidade passe de 19,6 milhões para 66,5 milhões. Por conta disso, a qualidade de vida na terceira idade se torna uma questão cada vez mais importante. O envelhecimento é um processo natural, que acontece de maneira gradativa e individual.

No entanto, com o passar dos anos, as alterações que ocorrem no organismo afetam todos os órgãos e tecidos do corpo, além das modificações fisiológicas, bioquímicas e psicológicas. Por isso, é fundamental o acompanhamento médico de um geriatra para evitar doenças e todos os problemas relacionados a essa fase da vida.

Afinal, ele ajuda a prevenir algumas doenças em decorrência da idade, orienta devidamente a família a lidar com as pessoas mais velhas e trata todos esses problemas ligados ao envelhecimento, promovendo bem-estar, valorizando a saúde emocional do paciente e avaliando a necessidade de um apoio multidisciplinar.

Como ele atua?

Ao avaliar o paciente, o geriatra consegue identificar as mudanças físicas, psicológicas e funcionais que já são comuns no processo de envelhecimento e, muitas vezes, provenientes de possíveis doenças e distúrbios que também podem ocorrer nessa fase.

Ao contrário de muitos médicos consultados por pessoas na faixa dos 60 anos, esses profissionais não se restringem a analisar apenas um órgão ou sistema do corpo. Essa especialidade se dedica a toda a saúde do paciente.

Geralmente, a consulta com o geriatra é bem mais demorada que o normal, pois esse profissional pode realizar diversos testes, como exames de sangue, avaliação da memória e capacidade mental do idoso, monitoramento da saúde física e as famosas questões emocionais e sociais.

Entre os principais problemas que devem ser avaliados por esse médico, estão:

  • perda ou alteração de memória;
  • mudanças de comportamento;
  • dificuldade para realizar atividades simples;
  • quedas frequentes;
  • perda de peso.

Inclusive, um dos principais objetivos desse acompanhamento é a individualização do processo, sendo uma excelente opção para os idosos que passam por diversos médicos de várias especialidades e acabam se confundindo com tantos remédios e exames. No entanto, isso não impede que o geriatra trabalhe lado a lado de outros profissionais, como cardiologistas e dermatologistas.

Quais são as principais complicações tratadas por esse profissional?

As principais complicações que podem ser tratadas por esse profissional são:

  • demências que causam alterações na memória e na cognição, como Alzheimer;
  • Parkinson;
  • tremores;
  • perda da massa muscular;
  • instabilidade da postura;
  • depressão;
  • osteoporose;
  • confusão mental;
  • incontinência urinária;
  • imobilidade;
  • doenças cardiovasculares, como diabetes, pressão alta e colesterol ruim;
  • complicações pelo uso de medicamentos inapropriados para a idade ou em excesso.

O geriatra também está apto para realizar o tratamento por meio de cuidados paliativos em idosos com doenças incuráveis. Além disso, é preparado para definir um tratamento para reduzir a evolução das complicações e identificar as condições psicossociais do paciente.

Assim, ele consegue associar os dados médicos às suas condições de vida, aumentando a eficiência do tratamento e proporcionando intenso bem-estar ao idoso.

Quando procurá-lo?

Apesar de ser um especialista recomendado para pessoas na terceira idade, a primeira consulta com um geriatra costuma acontecer um pouco antes da chegada a essa faixa etária: a partir dos 40 anos. Esse acompanhamento prévio é chamado de geriatria preventiva, utilizada cada vez mais por pessoas mais novas que desejam retardar o processo de envelhecimento.

Ele cuida dos hábitos alimentares desenvolvendo cardápios mais ricos com a finalidade de suprir as necessidades orgânicas e buscando proteger o coração, o cérebro, a memória e os ossos.

Além disso, antes de tratar alguns problemas decorrentes da idade, é possível fazer a prevenção de vários outros, com exames e consultas para tirar possíveis dúvidas do que estar por vir.

Desse jeito, poderá se consultar com o geriatra tanto o adulto saudável, para tratar e prevenir doenças, quanto aquele idoso que já está fragilizado ou tem algumas sequelas, como estar acamado, sofrendo de alguma doença crônica severa ou sem reconhecer as pessoas ao redor.

O processo é acompanhado detalhadamente, o que facilita a identificação das áreas mais frágeis de sua saúde. Com isso, é possível melhorar os diagnósticos clínicos, identificar doenças em estágio inicial e, consequentemente, garantir a satisfação do paciente.

O que devo considerar para escolher um bom geriatra no RJ?

Para escolher corretamente um bom geriatra no RJ e em todo o país, é preciso verificar no Conselho Federal de Medicina (CFM) se o profissional está devidamente credenciado e se é ou não especialista. Afinal, existem diversas especialidades médicas que não tratam problemas exclusivos dos idosos e podem confundir o paciente.

Também é preciso escolher uma clínica de qualidade e excelência, especializada em envelhecimento e que proporcione um tratamento completo por meio das mais modernas técnicas na área de geriatria.

Agora que você já sabe quando e como procurar um bom geriatra no RJ, é muito importante visitá-lo regularmente, realizar todos os exames solicitados e seguir corretamente os tratamentos prescritos por ele.

Além disso, esse acompanhamento médico deve ser feito juntamente de alguns hábitos saudáveis, como dormir bem, seguir uma alimentação equilibrada, praticar atividades físicas e manter uma boa socialização. Assim, a qualidade de vida e o bem-estar do idoso estarão garantidos.

E aí, gostou de saber qual é momento certo para começar a cuidar da saúde do idoso? Tem interesse em visitar um bom geriatra no RJ? Então, é só entrar em contato conosco para que possamos ajudá-lo!