A expectativa de vida do brasileiro atingiu marcas nunca antes alcançadas. Se no início do século, em 2000, um cidadão tinha a longevidade média de 68,6 anos, hoje, segundo dados do IBGE, o brasileiro nasce com a expectativa de atingir os 76 anos de idade.

Antes considerado jovem, o Brasil passa por um processo de envelhecimento populacional. O IBGE estima que, até 2060, a população acima de 80 anos deve contar com mais de 19 milhões de pessoas. Com o prognóstico positivo, o país encara o desafio de proporcionar um envelhecimento saudável para a população.

Neste artigo, vamos abordar os conceitos de envelhecimento e longevidade, explicando os fatores que influenciam tais fenômenos. Além disso, vamos falar sobre os cuidados necessários para manter a saúde durante o processo de envelhecimento. Confira!

O que é o envelhecimento populacional?

De forma objetiva, o envelhecimento populacional lida com a proporção entre a população jovem e idosa, seja em escala global, seja nacional. Trata-se, então, do aumento do nível médio de idade dos cidadãos.

Esse fenômeno se dá por diversos fatores que levam, ao mesmo tempo, à diminuição da taxa de natalidade e ao aumento da expectativa de vida. É possível observar que o envelhecimento populacional tem maior incidência em países mais desenvolvidos, o que não pode ser encarado como uma coincidência.

O desenvolvimento tecnológico e os avanços da Medicina afetam diretamente o envelhecimento populacional, já que proporcionam um aumento constante na expectativa de vida das pessoas. Além disso, a conscientização sobre a importância de cuidar da própria saúde é um movimento forte e crescente. 

Da mesma forma, é possível explicar a diminuição da taxa de natalidade. Avanços sociais e tecnológicos, como o desenvolvimento de métodos contraceptivos e o aumento na qualidade da educação, tornam possível um planejamento familiar mais cuidadoso.

Em quais países o envelhecimento populacional é mais notório?

Enquanto o aumento da expectativa de vida é algo a ser comemorado, o envelhecimento populacional gera preocupações nos governos de diversos países, principalmente por motivos econômicos. Afinal, se a população jovem diminui, a economia sofre impactos diretos.

É previsto que, até 2050, grande parte da Europa, além de países como Austrália e China tenham pelo menos 25% de sua população com idade superior a 60 anos. No Brasil, a expectativa é que a população idosa dobre de tamanho nos próximos 20 anos.

Para corroborar a ideia de que o envelhecimento populacional tem relação direta com avanços sociais e tecnológicos, a ONU mostra que a única região que ainda vê um crescimento da população é o continente africano, que infelizmente ainda não atingiu níveis satisfatórios de desenvolvimento.

O que é a taxa de longevidade?

Como abordamos no início do texto, o Brasil atingiu a maior taxa de longevidade de sua história. Mas o que isso significa, realmente? Com avanços na Medicina que ajudam a combater e eliminar doenças, as pessoas têm maior probabilidade de alcançar idades mais avançadas. Proporcionar maior longevidade à população é ótimo, mas também traz responsabilidades para que um envelhecimento saudável seja garantido. Afinal, se vamos viver por mais tempo, que seja de forma confortável e satisfatória.

Para que isso seja atingido, é necessário um processo educacional sobre noções básicas do envelhecimento, para que a pessoa idosa seja valorizada, respeitada e possa adotar hábitos saudáveis. O problema é que, com o envelhecimento populacional, muitos idosos acabaram por não receber os cuidados necessários.

Quais países têm a maior expectativa de vida?

Como mencionado, a alta expectativa de vida ao nascer é um dos fatores fundamentais para a escalada do envelhecimento populacional. Quer saber quais países se destacam nesse quesito? Confira as 10 nações que contam com as maiores taxas de longevidade do planeta:

  • Japão: 87 anos;

  • Andorra: 84.2 anos;

  • Singapura: 84 anos;

  • Hong Kong: 83.8 anos;

  • San Marino: 83.5 anos;

  • Islândia: 83.3 anos;

  • Itália: 83.1 anos;

  • Suécia: 83 anos;

  • Austrália: 83 anos;

  • Suíça: 82.8 anos.

Com a expectativa de vida subindo cada vez mais, a população volta sua atenção para chegar na terceira idade com saúde suficiente para viver de forma tranquila e saudável. Para isso, não basta viver em um país desenvolvido. É essencial tomar cuidados para garantir o envelhecimento saudável.

Então, como garantir que você ou seu familiar passem pelo processo de envelhecimento de forma positiva? É o que vamos abordar no próximo tópico.

Quais fatores influenciam em um envelhecimento saudável?

Sabemos que a expectativa de vida e o envelhecimento populacional têm relação direta com o desenvolvimento eficiente de um país. Porém, viver mais não necessariamente significa viver bem. Para chegar à terceira idade com a saúde em dia, alguns cuidados são essenciais.

Para começar, é importante ressaltar que esse conceito não se limita à saúde física e mental. Um fator importantíssimo, que infelizmente é ignorado em alguns casos, é a inclusão social. Afinal, é crucial que o indivíduo esteja apto a realizar as ações que deseja dentro da sociedade.

Portanto, é recomendado que o idoso mantenha-se dentro de um círculo social ativo. Fazer parte de uma comunidade, seja frequentando um clube, seja se reunindo periodicamente com amigos. A sensação de pertencimento é um dos pontos mais importantes para garantir o envelhecimento saudável.

Outro aspecto fundamental é a realização de atividades físicas. É comum que, ao perceber o envelhecimento corporal, a pessoa gradativamente se afaste de exercícios. Vamos entender o motivo pelo qual isso deve ser evitado.

A importância da atividade física

Existe um conceito chamado envelhecimento ativo. Ele é definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o processo de otimização das oportunidades de saúde, participação e segurança, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida à medida que as pessoas ficam mais velhas.

A integração de atividades físicas é fundamental para alcançar tal objetivo. Além de manterem a saúde física em dia, os exercícios têm papel fundamental na elevação da autoestima e confiança do indivíduo. Ademais, é uma oportunidade excelente para promover a integração social.

É comum que pessoas com idade mais avançada apresentem limitações para determinados exercícios. Não é um problema. Com a ajuda profissional adequada, essas limitações podem ser suavizadas com a recomendação de uma atividade condizente com a condição do idoso.

Vale lembrar que o envelhecimento ativo e saudável não é um processo que se inicia na fase idosa. É primordial que, para chegar à terceira idade de maneira saudável e satisfatória, a pessoa dê atenção ao desenvolvimento de sua qualidade de vida em todas as etapas da vida.

A alimentação como forma de envelhecimento saudável

Contar com um programa de nutrição bem elaborado é um ponto fundamental para a saúde em qualquer idade. Naturalmente, conforme envelhecemos, sua importância se torna ainda mais intensa.

O abuso de alimentos com muito sódio, açúcar ou gorduras saturadas, por exemplo, pode ser um gatilho para doenças graves, como hipertensão, aumentando a chance de problemas como derrames ou infartos. Portanto, é vital contar com uma dieta balanceada para dar ao corpo os nutrientes precisos para sustentar os efeitos causados pelo envelhecimento. Incluir frutas, verduras e legumes na rotina, além de incentivar a ingestão de água, são medidas muito eficientes nesse sentido.

Qual a importância de um acompanhamento médico?

Se você chegou até aqui, deve saber que as tendências de avanço tecnológico têm impacto positivo na Medicina, que por sua vez tem efeito direto no aumento da taxa de longevidade. Portanto, não é difícil concluir que contar com um acompanhamento médico é crucial para envelhecer de forma saudável.

Novos métodos e descobertas são apresentados quase diariamente à sociedade. Portanto, contar com o acompanhamento de um profissional competente e de confiança é o canal direto para ter acesso às novidades relacionadas à longevidade.

Já mencionamos que cuidar da sua qualidade de vida é essencial em todas as idades, mas torna-se ainda mais importante conforme os anos vão passando. Afinal, é natural que o idoso precise de mais cuidados do que uma pessoa mais jovem. Sendo assim, adotar uma rotina médica na terceira idade é indispensável.

Como o acompanhamento médico especializado pode ajudar no envelhecimento e longevidade?

O fenômeno de envelhecimento populacional que pode ser observado em quase todo o mundo ligou alertas. Enquanto políticos e economistas se preocupam com o efeito causado na economia, instituições de saúde voltaram suas atenções para garantir a qualidade de vida na terceira idade.

A demanda por soluções para viver melhor cresceu e, com isso, surgiram clínicas especializadas para um envelhecimento ativo e saudável. Os profissionais nesses estabelecimentos proporcionam a atenção necessária para tranquilizar e orientar o idoso durante todo o processo. Além de tratamentos convencionais, são oferecidas facilidades para introduzir a rotina médica no cotidiano da pessoa, como o atendimento domiciliar e a orientação a familiares.

A taxa de longevidade e o envelhecimento populacional são dois conceitos interligados. Descobertas médicas, avanços tecnológicos e melhorias sociais contribuem para que as pessoas vivam cada vez mais, fato que, combinado com a diminuição da taxa de fecundidade, aceleram o envelhecimento da população.

Ao longo do texto, ressaltamos que viver mais não significa viver bem. Para isso, é preciso encontrar o equilíbrio físico, social e emocional do indivíduo. Para chegar a esse objetivo, deve-se dar atenção à qualidade de vida em todas as idades. Além disso, o acompanhamento médico é completamente imprescindível.

Deu para entender a diferença entre envelhecimento e longevidade e como os dois conceitos se relacionam? Se você quer saber mais sobre esses assuntos e receber dicas para um envelhecimento saudável, assine nossa newsletter!