banner agende uma consultaPowered by Rock Convert

Na idade avançada, algumas doenças físicas e mentais surgem como resultado do processo natural do envelhecimento. Nesse sentido, saber quais os tipos de demência e os primeiros sinais que apresentam é essencial para cuidar da saúde nessa etapa da vida.

A demência é mais comum em idosos e está relacionada a um grupo de doenças que provocam a queda progressiva nas funções cerebrais. Assim, surgem sintomas como a perda de memória, a redução da capacidade intelectual, a lentidão de raciocínio e as alterações emocionais.

Neste artigo, você vai conhecer 4 tipos de demências mais comuns e aprender a identificar os sinais que sugerem a necessidade de procurar um especialista. Veja! 

1. Demência frontotemporal 

A demência frontotemporal (DFT) se refere à degeneração funcional de um ou de ambos os lobos cerebelares temporais ou frontais. Essa enfermidade surge em decorrência de herança familiar ou como interferência de uma mutação que afeta a produção do gene da proteína tau. Essa mesma substância também influencia o surgimento do Alzheimer.

2. Demência vascular

As demências vasculares estão associadas à ineficiência da oxigenação cerebral devido à falta de circulação do sangue. Esse quadro afeta a maioria dos idosos e surge como consequência da atrofia de algumas regiões do cérebro por consequência da perda de neurônios.

Essa situação resulta de pequenos e múltiplos enfartes cerebrais, comumente denominados acidentes isquêmicos transitórios. Problemas como a hipertensão arterial, a redução do calibre das artérias e a circulação sanguínea comprometida elevam os riscos para a doença. O principal sintoma é a confusão mental.

3. Demência de Pick

Também chamada de doença de Pick ou PiD, essa disfunção é classificada como um dos tipos de demência frontotemporal. Porém, a PiD tem um fator principal que a diferencia das demais demências desse grupo: o excesso de proteína tau. Essa substância é conhecida como corpo de Pick e se acumula nos neurônios durante o envelhecimento.

Geralmente, os corpos de Pick migram para as áreas frontais ou temporais. Os principais sintomas da PiD são a redução precoce da memória e da capacidade de raciocínio. Também podem surgir disfunções na fala, delírios, alucinações e outros tipos de confusão mental. 

Por isso, manter uma rotina regular de exames e de acompanhamento periódico — principalmente com um geriatra — é fundamental para diminuir os efeitos dessas alterações que surgem no envelhecimento.

4. Alzheimer

O Alzheimer é a modalidade mais comum de demência na terceira idade. Afeta a maioria dos idosos, tem caráter progressivo e degenerativo e compromete as funções cerebrais elementares: memória, capacidade de análise, autonomia e aspectos emocionais.

Geralmente, o Alzheimer surge depois dos 70 anos, mas o diagnóstico precoce pode reduzir os impactos dessa enfermidade sobre a qualidade de vida do idoso. Sinais como perda de memória, redução da capacidade de raciocínio e instabilidade emocional podem ser indícios dessa doença.

Nesse contexto, a ajuda da família, de amigos e dos especialistas em envelhecimento ativo pode fazer uma diferença positiva para reduzir os impactos negativos dessas perdas funcionais típicas da terceira idade.

Sob essa perspectiva, tanto o cuidador como os familiares necessitam aprender como lidar com idosos com demências. A busca de orientação profissional torna-se um dos pontos mais relevantes para reduzir os efeitos de todos os tipos de demência que surgem durante o envelhecimento.

Agora é com você: aproveite a visita ao nosso blog e confira como a medicina pode ajudar a melhorar a qualidade de vida na terceira idade!