O Outubro Rosa é um movimento mundial que visa estimular os cuidados com a saúde das mulheres e, principalmente, alertá-las sobre a prevenção e o diagnóstico do câncer de mama.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), essa é a doença que mais atinge mulheres no mundo inteiro. Além disso, algumas estimativas revelam que, a cada ano, mais de 50 mil novos casos são diagnosticados só no Brasil.

A boa notícia é que quanto mais rápido for feito o diagnóstico desse mal, maiores são as chances de recuperação. Sabendo disso, preparamos este post especial com alguns cuidados que devem ser tomados para preveni-lo de uma vez por todas. Quer saber quais são? Continue a leitura e confira!

Visitar o ginecologista anualmente

A partir da primeira menstruação, as mulheres precisam visitar o ginecologista pelo menos uma vez ao ano. Ele passará orientações a respeito dos exames ginecológicos necessários de acordo com idade, histórico familiar ou qualquer sintoma. Durante a consulta, ele também fará exames clínicos nas mamas e axilas para verificar se há algum nódulo ou alteração na pele que possa indicar determinado problema, como o câncer.

Fazer mamografia após os 40 anos de idade

A mamografia consiste em nada mais do que um Raio-X das mamas com uma radiação baixa, que não causa nenhum efeito colateral desde que seja feito de modo periódico e na faixa etária adequada. Esse exame está diretamente relacionado ao estágio da doença e ao aumento das chances de cura.

O câncer de mama atinge, principalmente, mulheres entre 50 e 60 anos. Ainda assim, a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda que a mamografia seja realizada pelo menos uma vez por ano a partir dos 40 anos de idade. Quem está no grupo de alto risco e já tem casos de câncer de mama na família deve começar esse cuidado pelo menos 10 anos antes da idade em que o tumor se manifestou na familiar mais próxima.

Além disso, a mamografia é recomendada em qualquer idade se houver sintomas, como aparecimento de caroços ou áreas endurecidas nos seios ou nas axilas, dores contínuas em alguma parte da mama e secreções nos mamilos.

Realizar o autoexame periodicamente

Você também pode realizar o autoexame em casa uma vez por mês, sempre depois da menstruação ou em algum dia específico, se estiver na menopausa. Para isso, fique em pé diante do espelho, com os braços soltos ao longo do corpo. Observe a cor do bico dos seios, da aréola e da pele da mama. Depois, levante os braços acima da cabeça e confira se há alguma mudança ou retração nesses locais.

Deite-se e coloque um travesseiro sob o ombro direito. Leve o braço direito para trás da cabeça e, com a mão esquerda, apalpe a mama do lado oposto com as pontas dos três dedos médios, em movimentos suaves e circulares, para verificar se há nódulos ou endurecimentos. Faça o mesmo embaixo das axilas. Por fim, repita os movimentos do outro lado do corpo.

É importante lembrar que o autoexame não substitui a avaliação clínica. Portanto, se perceber qualquer alteração ou protuberância, comunique ao seu médico imediatamente. Tumores em estágio inicial não costumam apresentar maiores sintomas e só se tornam sensíveis ao toque depois de um certo tempo de instalação no organismo.

Esses são os principais cuidados estimulados pelo Outubro Rosa para evitar o câncer de mama na população feminina. Afinal, diagnosticá-lo precocemente aumenta as chances de cura da doença, bem como as possibilidades de cirurgias e tratamentos menos agressivos, evitando a retirada da mama e até mesmo a quimioterapia. Previna-se!

Agora que você já conhece a importância do Outubro Rosa para a prevenção do câncer que mais atinge mulheres em todo o mundo, ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar a sua opinião sobre esse assunto? Então, deixe um comentário abaixo!