A saúde é um bem que não se limita apenas ao aparato biológico. O elo entre mente e corpo e a integração com o ambiente são quesitos essenciais à saúde plena. Nesse sentido, a adoção de hábitos saudáveis sinaliza maiores possibilidades de aumentar a qualidade de vida, sobretudo após os 50 anos.

A nova geração de cinquentões chega a essa idade em ótima forma e protagoniza uma das maiores mudanças de comportamento da atualidade. A sociedade contemporânea moldou os costumes e fez surgir um novo modo de enfrentar a segunda metade da vida.

Nessa conjectura, selecionamos algumas dicas para aumentar a vitalidade após os 50 anos e tornar possível seguir as tendências preconizadas pelo estilo de vida desse século. Boa leitura!

Quais os pilares mais importantes para alcançar a longevidade saudável?

Como uma vertente comum da contemporaneidade, a sociedade está passando por uma revolução quanto ao envelhecimento. Hoje, envelhecer não é somente uma questão de longevidade, mas viver mais tempo de forma saudável. No entanto, há três fatores que possibilitam o alcance da terceira idade desfrutando de boa saúde e bem-estar. Confira quais são eles a seguir!

Alimentação

Nas últimas décadas, por influências diversas, o padrão alimentar modificou-se significativamente. Além da carga genética que estimula o armazenamento de gorduras no organismo, o tipo de alimentação consumida pode ser protetor ou totalmente nocivo à saúde.

Assim sendo, é imprescindível readequar os hábitos alimentares e promover a estabilidade funcional da mente e do corpo. Garantir o consumo de elementos ricos em substâncias nutritivas e menos agressivas aos sistemas orgânicos é fundamental à longevidade saudável.

Atividade física

A promoção de um estilo de vida mais ativo — e associado à prática de exercícios físicos — precisa ser incentivada desde cedo. Essa é uma das formas mais seguras de alcançar a terceira idade em plenas condições de equilíbrio mental e físico.

Como uma característica típica do envelhecimento, em todos os sistemas ocorre um processo fisiológico irreversível. Isso significa que tão logo se inicie o declínio dos órgãos, não há como promover um caminho reverso. Contudo, esse processo é gradual. Assim, a atividade física é um poderoso pilar que ameniza a velocidade com que se processam essas modificações nos sistemas.

Fenômenos emocionais

Um dos aspectos determinantes para proteger a saúde no início do envelhecimento é a capacidade de controlar fenômenos emocionais ao longo da vida. Além disso, a resiliência e a paciência são habilidades essenciais para combater o estresse e reduzir a formação de radicais livres, que causam o envelhecimento celular e dos tecidos.

Em todas as formas de vida, o envelhecimento é natural e inevitável. Contudo, o modo como envelhecemos determina o nível da qualidade de vida que teremos na terceira idade. Cuidar da saúde emocional, exercitar o cérebro — e adotar uma postura mais positiva frente aos problemas da vida — pode tornar esse processo bem mais feliz e saudável.

O que posso fazer para aumentar a qualidade de vida após os 50?

Confira agora alguns fatores que podem aumentar a qualidade de vida e tornar o envelhecimento mais harmônico. Acompanhe!

Cuidar da alimentação

Evitar o consumo de alimentos processados industrialmente e priorizar a compra de produtos naturais é indispensável ao fortalecimento do organismo. Além disso, o abuso de refrigerantes, álcool, café e chás reduz a produção — e a função — do mineral cálcio.

O cálcio é parte integrante da composição dos ossos. Esse mineral garante resistência à matriz óssea e auxilia no combate às doenças articulares, típicas da terceira idade. Principalmente para as mulheres, produtos como grãos e castanhas são elementares e ajudam a diminuir os desequilíbrios hormonais e o surgimento de diversos tipos de câncer.

Ingerir bastante água

Sem dúvida, o consumo de água é fundamental à saúde. Entretanto, para os indivíduos que estão se aproximando da terceira idade, é necessário aumentar a ingestão do líquido para suprir a deficiência natural que aparece nessa fase da vida. Pois no envelhecimento, os riscos de desidratação são mais elevados.

Exercitar o cérebro

Praticar exercícios que fortaleçam as atividades cerebrais pode ativar os neurônios — as células do cérebro. Desenvolver hábitos de leitura, jogos de tabuleiros ou práticas que exijam raciocínio reduz os riscos de doenças mentais que comprometem a saúde do idoso.

Fazer visitas regulares ao médico

O acompanhamento médico é essencial em todas as fases da vida. Realizar exames anualmente para diagnosticar doenças precoces é fundamental para prevenir eventuais problemas de saúde, que são mais comuns após os 50 anos.

Viver com equilíbrio

Priorizar um viver harmonioso, resolver pendências pessoais ou financeiras são conquistas de longo prazo. Logo, manter essa prática durante a vida exige um adequado planejamento, além de compromisso e disciplina. Logo, considere a hipótese de começar a organizar hoje mesmo o roteiro de sua vida. Lembre-se de que os reflexos dessas ações serão bem visíveis na maturidade. Ou seja, o estilo de vida que terá quando chegar aos 50 anos depende da postura adotada hoje.

Aproveitar as oportunidades

Invista em você. Cuide bem do seu corpo e potencialize sua capacidade mental. Otimize o tempo, envolva-se com algo útil, construtivo e que simbolize resultados positivos e interessantes à sua rotina. Adquira novos conhecimentos, faça cursos, aprenda algo novo ou aprimore alguma habilidade. Aproveite a oportunidade para sair do quadrado. Divirta-se. Descubra novos talentos. Ouse. Surpreenda-se e promova condições reais de aumentar a qualidade de vida quando alcançar a quinta década.

Cortar gastos desnecessários

Saber administrar as finanças, investir em previdência privada e cortar gastos desnecessários são ações que indicam reais possibilidades de aumentar a qualidade de vida no envelhecimento. Hoje, a opção por um novo estilo de vida, mais simples, regrado e racional potencializa as chances de alcançar esse objetivo de forma mais concreta.

Ter disciplina

Ter disciplina e controle emocional são virtudes indispensáveis para construir um futuro mais promissor e viver bem durante o envelhecimento. Investir nisso envolve aspectos pessoais, afetivos, emocionais, profissionais e financeiros. Logo, essa decisão exige muita determinação, foco e coragem. Entretanto, render-se a ela pode resultar em benefícios exponenciais e representar mais segurança e tranquilidade após os 50 anos.

Como um acompanhamento profissional pode ajudar?

Aos 50 anos de idade, os indivíduos têm uma visão de mundo com novas cores e sentido. Ou seja, são reflexos oriundos da maturidade adquirida. As experiências vividas, os sonhos, os fracassos e os erros cometidos são partes essenciais de um aprendizado supremo. Portanto, para alguns, nem sempre é fácil enfrentar sozinho esse desafio. O estilo de vida contemporâneo dificulta as relações, afasta as pessoas e as tornam mais vulneráveis às doenças emocionais e físicas.

Nesses casos, buscar apoio em uma clínica especializada em envelhecimento ativo pode minimizar os impactos dessas questões. Contar com o auxílio de profissionais, como geriatras, endocrinologistas, homeopatas, dermatologistas, nutrólogos e cardiologistas é indispensável para aumentar a qualidade de vida, não só agora, mas também após os 50 anos.

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre o assunto? Então, não perca tempo: entre em contato com a Longevitat e conheça nossas soluções!