banner agende uma consultaPowered by Rock Convert

Em determinado ponto da vida de um ser humano, os papéis familiares sofrem algumas inversões. Aqueles que passaram a vida cuidando de nós passam a depender de nossos cuidados para contar com um envelhecimento ativo e saudável. Isso é natural, bem como o desejo de estar sempre por perto.

Acontece que, em alguns casos, não temos a disponibilidade ou as habilidades necessárias para proporcionar a qualidade de vida que eles merecem. É aí que percebemos a necessidade de contratar um cuidador de idosos.

Esse profissional será responsável por fazer companhia ao idoso, medicar, adequar o ambiente e manter a família informada. Dada sua importância, alguns pontos devem ser considerados para determinar se o cuidador está apto para a tarefa. Abordaremos os 6 mais importantes neste artigo. Confira!

1. Experiência

Assim como acontece em qualquer outra atividade profissional, o desempenho de um cuidador de idosos só tem a melhorar conforme sua experiência for aumentando. É por isso que, antes de decidir qual é o melhor para o seu familiar, você deve realizar entrevistas com possíveis candidatos.

Essas reuniões representam uma oportunidade para você interrogar cada candidato e ter uma noção sobre suas qualificações para a vaga. Neste processo, pergunte sobre outras experiências que o cuidador tenha tido com idosos, e busque saber mais sobre seus métodos.

Uma boa forma de receber insights sobre a experiência do cuidador é passar uma lista com as suas necessidades e verificar sua familiaridade com elas. Um profissional experiente deve estar acostumado a lidar com situações cotidianas da vida de um idoso.

Cheque as referências

Não há forma melhor de determinar se alguém é confiável para exercer  uma função do que checar suas referências. Portanto, durante o processo de escolha, peça para que o cuidador forneça o contato de outros clientes, sejam eles atuais ou anteriores. 

Assim, você tem a oportunidade de entrar em contato com outras famílias que já tenham passado pela mesma situação que você. Ao perguntar sobre as qualificações do profissional, você deve receber informações úteis para entender o que pode esperar dele.

2. Organização

Muita gente pensa no cuidador de idosos como uma figura limitada a acompanhar a pessoa em seu cotidiano. Sua responsabilidade, porém, vai muito além disso.

Para se ter uma ideia, o cuidador será responsável por ministrar os medicamentos prescritos pelos médicos, desde que sejam por via oral. Em muitos casos, também é de sua incumbência preparar refeições adequadas.

Sendo assim, observar sua capacidade de organização é um ponto fundamental no processo. Uma pessoa que apresente sinais de desorganização pode encontrar obstáculos, especialmente quando precisa lidar com uma grande variedade de remédios que precisam ser aplicados em horários específicos.

Aqui, vale lembrar também que viver em um ambiente limpo e bem arrumado é essencial para a saúde mental do idoso, que precisa sentir-se confortável. Além disso, em alguns casos, a disposição incorreta de objetos em um cômodo pode até provocar acidentes domésticos.

Portanto, faça perguntas que remetam à capacidade organizacional do cuidador. Além disso, observar sua pontualidade, seu profissionalismo ao falar e até mesmo suas vestimentas é uma forma de prever sua inclinação pela disciplina.

3. Higiene

Outro ponto essencial para ser observado em um profissional no trato com idosos é a higiene. A pessoa escolhida deve ter as noções básicas necessárias para manter o ambiente limpo, além de conhecer as técnicas para manusear comidas e medicamentos sem contaminá-los.

É importante ter e mente que o sistema imunológico de uma pessoa mais idosa tende a ser mais frágil. Exatamente por isso, todo cuidado é pouco. Isso diz respeito também à higiene pessoal do cuidador. Caso ele apresente indícios de desleixo neste sentido, é natural manter um pé atrás. 

Mais uma vez, o contato com referências se faz necessário. Elas serão a melhor fonte para indicar se há algum problema com a higiene do cuidador. Tenha em conta que o profissional será responsável também pela limpeza pessoal do idoso e, por isso, deve entender a importância da atividade.

4. Conhecimento

Quanto maior o conhecimento sobre a natureza e características dos idosos, mais preparado o cuidador estará para contornar desafios e tomar decisões benéficas para o bem-estar da pessoa que está sob o seu cuidado.

Portanto, é crucial dar preferência aos candidatos que contem com noções básicas de saúde, higiene, primeiros socorros, atividades para a terceira idade, entre outros elementos. 

Para garantir a qualidade do serviço, a  nova regulamentação do senado determina que os profissionais dedicados a cuidar de idosos devem, obrigatoriamente, passar por um curso de qualificação na área. 

Por esse motivo, é válido dar preferência a cuidadores que sejam tutelados por algum tipo de organização de saúde. Procurar por clínicas especializadas no envelhecimento saudável pode ser o que você precisa para encontrar uma pessoa de confiança.

5. Comportamento com o idoso

Por fim, dê atenção à forma como a pessoa em questão se comporta na companhia de um idoso. Lembra como falamos no primeiro tópico sobre a importância de realizar uma entrevista? Ela é também uma oportunidade de colocar o cuidador em contato com seu familiar.

É crucial entender que quanto melhor for o relacionamento do cuidador com a pessoa recebendo cuidados, mais fácil será o processo. Por isso, é importante verificar se o profissional conta com as habilidades de comunicação interpessoal para servir adequadamente como companhia. 

Observe sua paciência ao dialogar, sua capacidade de manter o idoso confortável e, principalmente, a forma como seu familiar reage à interação com ele. O processo de delegar os cuidados para um terceiro pode apresentar obstáculos, e a melhor forma de lidar com eles é promover uma relação agradável.

6. Adequação à nova legislação

Por fim, é importante que o candidato cumpra os requisitos do projeto de lei 11/2016, que regulamenta a profissão de cuidador de idoso. O texto aprovado no senado prevê que essa atividade pode ser feita de forma coletiva ou individual, com vínculo empregatício temporário ou permanente. 

Para resguardar a pessoa cuidada, o acompanhante não tem permissão de administrar remédios que não sejam por via oral. No caso de aplicações intravenosas, por exemplo, será necessário o auxílio de um profissional especificamente qualificado. Caso ajam contra o estatuto do idoso, os cuidadores poderão ser demitidos por justa causa. 

Com a formalização do emprego, indivíduos que realizem a função como pessoa física por mais de dois dias por semana, devem ter o contrato regido sob as mesmas normas dos empregados domésticos. Confira outras exigências que precisam ser cumpridas pelo cuidador:

  • idade mínima de 18 anos;
  • bons antecedentes criminais;
  • ensino fundamental completo;
  • curso de capacitação finalizado; 
  • atestados de aptidão física e mental. 

Escolher a pessoal adequada para cuidar de seus familiares é um desafio que deve ser encarado com seriedade. Por isso, contar com a ajuda profissional de uma clínica referência em envelhecimento saudável é um ponto essencial.

Busque indicações em sua região e garanta um tratamento adequado para as necessidades de seu ente querido. Um bom cuidador de idosos deve ser paciente, higiênico e com experiência no assunto. Com um serviço apropriado, a qualidade de vida só tem a melhorar.

E aí, deu para entender os pontos essenciais para escolher um bom cuidador de idosos? Você tem algum tipo de dúvida, indicação ou dica para adicionar? Adoraríamos saber! Deixe seu comentário para a gente!